Ferramentas

Tenha acesso a formação sobre a gestão de CAT

Explore o e-learning da ESMO na gestão de CAT

Avalie o risco de desenvolver um evento de Tromboembolismo Venoso (TEV) no seu doente oncológico

Determine o risco

Saiba o que recomendam as guidelines internacionais para os seus doentes

Consulte aqui

O que dizem os especialistas em CAT em CancerClot™

Descubra o que há de novo sobre o tromboembolismo venoso (TEV) e a trombose associada a cancro (CAT). Nesta Aqui em CancerClot™ pode consultar as atualizações sobre estes temas e as recomendações de alguns dos principais especialistas internacionais.
Consulte aqui

Video library

Assista ao que dizem os especialistas em Trombose Associada a Cancro (CAT) sobre a importância do doente, a gestão do Tromboembolismo Venoso (VTE) no cancro ativo e muito mais.


Veja os vídeos

Plano de ação: otimizar os resultados e reduzir a mortalidade

"O objetivo do plano de ação é atuar ao nível da prevenção, diagnóstico precoce e tratamento adequado do TEV para todos os doentes com cancro ativo."2

Ajude os seus doentes a estarem informados

A European Cancer Patient Coalition (ECPC) desenvolveu um folheto para ajudá-lo a informar os seus doentes sobre os riscos, sinais e sintomas do tromboembolismo venoso associado a cancro ativo.

Sabia que 72% dos doentes com cancro não estam informados sobre o seu risco aumentado de desenvolver trombose? 29

A European Cancer Patient Coalition (ECPC) realizou o primeiro questionário sobre a consciencialização da Trombose Associada a Cancro em doentes oncológicos.

O que aconteceu no ICTHIC & EAHP?

Assista aos vídeos e obtenha as informações mais recentes sobre a trombose associada a cancro nos congressos de 2018.

Ajude a aumentar a consciencialização sobre o tema CAT

Até 20% dos doentes com cancro desenvolvem TEV, tornando o tratamento e a gestão destes doentes mais complexos.3 Aceda aos conteúdos apresentados e contribua para o aumento da consciencialização para este tema.

Ajude os seus doentes a estarem informados

Para além dos efeitos secundários da quimioterapia, quando os doentes apresentam sintomas como edema nas pernas, dor no peito e eritema, devem estar atentos ao risco de TEV. Transmita aos seus doentes as informações necessárias para aumentar a consciencialização e a compreensão sobre os coágulos sanguíneos na presença de cancro ativo.
O que dizem os doentes